Manaus – As fitas de vídeo são coisas do passado no arquivo do Amazon Sat. O canal temático da Amazônia está utilizando o sistema Media Portal, um mecanismo de digitalização e armazenamento de dados, onde todo o acervo da emissora passa a ser digital. A novidade está revolucionando o processo de produção da programação no que diz respeito à economia de tempo, espaço, de recursos, além de trazer benefícios sociais e ecológicos.

Só para se ter uma idéia na economia de espaço e recursos, uma fita LTO (Linear Tape Open) pode armazenar até 40 horas de vídeo em alta qualidade, sendo que uma fita profissional armazena apenas 1 hora. Ela também é até três vezes menor que uma fita profissional, com custo similar. Significa que um acervo de vídeos armazenados em LTO ocupa um espaço físico até 120 vezes menor que aquele feito com fitas profissionais. Portanto, menores custos de espaço físico, sem falar na economia de energia com salas climatizadas para abrigar os acervos.

O Media Portal funciona por meio do dispositivo LTO (Linear Tape Open), parecido com um HD, mas que na verdade é uma mini-fita, que armazena arquivos. A tecnologia LTO possibilita o uso de fitas de dados para armazenamento de acervos de mídia, tipicamente gravados em fitas de vídeo profissional (Betacam, entre outros). Todo o material de imagem captado pelas equipes é catalogado e gerenciado pelo sistema. Sempre que alguém precisar da imagem solicita pela rede, que vai disponibilizar o arquivo em minutos na ilha de edição.

É uma ferramenta de gestão de acervos digitalizados bastante flexível, escalável e capaz de integrar completamente fluxos de trabalho e mecanismos de distribuição de conteúdo, explica Fábio de Sales Guerra Tsuzuki, Diretor da Media Portal. Segundo ele, o sistema já é utilizado pela TV 7 Comunicações, Instituto Embratel 21, Gráfica Universal e TV Cultura, além do Amazon Sat, Portal Amazônia e TV Amazonas.

Entre as inúmeras vantagens do sistema, segundo Fábio Tsuzuki, está o fim do tráfego de fitas de vídeos, uma vez que tudo estará à disposição eletronicamente. Para os profissionais envolvidos no processo de produção no veículo de comunicação, a nova tecnologia, além de ajudar a diminuir o tempo dos procedimentos, também é uma solução ergonômica, a julgar pelo tamanho e peso material que antes era carregado pelos corredores, trazendo um impacto positivo na administração de recursos, um dos principais focos de qualquer negócio.

Sem falar nas vantagens para o meio ambiente, uma vez que o sistema tira de circulação as fitas de vídeos que são maiores e necessitam de mais matéria-prima para serem confeccionadas, comenta Fábio Tsuzuki.

Fonte: Três Comunicação

0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *